A Vida dos Outros

Em 1 jul 2019


“A vida dos outros” é um filme alemão maravilhoso e de extremo bom gosto que se passa na Guerra Fria. Recomendo assistir. Mas isso não tem nada a ver com o tema da coluna desta semana. O que tem a ver é o título. Reparou? A vida dos outros. Ou seja, cada um faz da sua vida o que quer e ninguém tem nada a ver com isso! Quer que eu desenhe?

Sim, cada um faz da vida o que quer. Pronto, falei. No dia 28 de junho se comemorou o Orgulho LGBTQI+, uma data cujo principal objetivo é a conscientização da população em geral sobre a importância do combate à homofobia, relembrando as rebeliões de Stonewall.

E por que combater a homofobia? Bom, primeiro porque é crime. E segundo, para que se construa uma sociedade livre de preconceitos de gênero, mais igualitária e reconhecedora dos direitos de todos. Coisa que nós, mulheres, independentemente de sermos heterossexuais ou homossexuais, entendemos muito bem, né?

Comecei com o título deste filme “A vida dos outros” porque simplesmente, quando se trata deste assunto, não consigo entender o porquê de tanta gente se preocupar tanto com a vida alheia. Ou seja: tá ligada que cada um FAZ da sua vida o que quer? Também tá ligada que cada um tem o direito de SER o que quiser, né? É a vida dos outros.

O problema sempre é que quando se trata do diferente, há uma tendência de muitos a problematizarem a questão. Pra mim, que a vida inteira lidei com o diferente, talvez seja mais fácil. Estudei em escolas católicas, adventistas e sem religião. Convivi com todos os tipos e espécies de gostos musicais. Lido todos os dias com os mais altos juristas e, ao mesmo tempo, com os mais fabulosos artistas. Circulo por lugares onde há orientações sexuais diversas. Sim, talvez pra mim o difícil seja a intolerância com o diferente.

Mas talvez o diferente não seja mesmo diferente, concorda? Todos nós somos diferentes uns dos outros. Até os gêmeos univitelinos têm um monte de diferenças. Então pra quê e por que se importar com as escolhas que são diversas das suas? Você não tem nada a ver com isso. Nada. Quer que eu desenhe de novo?

Nós aqui do Deu a Louka, a começar pelo título, incentivamos as diferenças e as escolhas de todo mundo. Desde o começo do Blog e do Canal nos preocupamos em dizer o que pensamos, respeitando e abraçando todas as vontades.

Portanto, na semana do Orgulho LGBTQI+, a gente continua afirmando que tem muito orgulho de quem tem coragem para ser o que é, seja gay ou hétero, seja artista ou profissional liberal, seja servidor público ou nômade digital, seja mulher ou homem.

Porque o importante sempre é estar feliz na própria pele por ter coragem de ser quem é, independente das diferenças que todos nós carregamos.

Orgulhe-se de quem você é! Seja quem você é! E deixe a vida dos outros em paz! Lembrando, novamente, que homofobia é crime. Tá bom, já tô desenhando!

By Andrea Nascimento

Siga Andrea Nascimento no Instagram: @andreanascimentoficial

Acesse e se inscreva no Canal Deu a Louka no YouTube! Clique aqui!

 

Deixe seu comentário