Chico

Em 22 ago 2017

Liberdade de expressão? Machismo x feminismo? Licença poética? Velhas ideias velhas? Sei lá! Mas quando ele disse “largo mulher e filhos e de joelhos vou te seguir” aff… Lascou! Será que ainda somos mulheres de Chico?

Nas últimas semanas houve uma certa polêmica sobre a mais nova música do Chico Buarque “Tua Cantiga”. Se você ainda não ouviu, dê um Google. Ok, se você não conhece o cantor do qual estou falando, é sinal de que tem menos de 30. Não sei por que, mas às vezes neste blog me sinto tão velha…

O fato é que algumas pessoas se manifestaram no sentido de que esta música não expressa mais o tipo de relacionamento que se pretende ter na atualidade. Bom, pelo menos o tipo de relacionamento que as mulheres de hoje em dia desejam. Como mulher e feminista doente, concordo. Essa coisa de marido ter amante é tão fora de moda…

Por outro lado, há quem diga que é só uma música: poesia, meu caro, sem a necessidade de debate. Como ouvinte, também concordo. Apenas ouvir, nada mais.

Não se trata de indecisão geminiana (tá bom, pode ser um pouco), mas acho que os dois lados têm seus argumentos válidos. Afinal, realmente as mulheres não querem mais este tipo de romance, envolvendo amantes e joelhos no chão, algo bem mais comum até meados do século XX. Mas por outro lado, dar ao artista a liberdade de se expressar, também é um ponto a ser levado em consideração, haja vista que, ultimamente, ninguém pode falar mais nada que já toma um processo, né, minha gente?!

A verdade é que a discussão aparece bem em volta do que sempre significaram as canções do gênio Chico para a música brasileira. Afinal, ele sempre foi desenhado com o carimbo de bom entendedor da alma feminina. Mas será que com a música “Tua Cantiga” ele ficou datado? Pelo menos esta é a pergunta que estão fazendo por aí a partir desta discussão toda.

Seja como for, sabe-se que conhecer a obra dele (e aqui sem qualquer cunho partidário, ok? Deixa de ser chato!) é fundamental para o conhecimento da cena musical brasileira. Eu, que na adolescência só ouvia heavy metal (e ainda ouço! Adoro!) fui apresentada ao Chico, à Betânia, à Clara, etc. quando entrei na escola de teatro, a CAL, pois lá tive a percepção de que para ser uma artista eu tinha que expandir meus gostos musicais. Musicais, cinematográficos, literários, estéticos, enfim, tive que ouvir, assistir e ler de tudo um pouco!

Portanto, a dica de hoje é: ouça “Tua Cantiga” e tire suas próprias conclusões! É poesia? É machismo? Você que sabe! Mas seja lá qual for a sua opinião, só digo uma coisa: respeita as mina, porra! 😉

 

Imagem: Freepik.

Deixe seu comentário