Desculpe, eu uso a cor que eu quiser.

Em 7 jan 2019


Eu sou menina e uso azul. Ele é menino e usa rosa. Mas às vezes eu uso amarelo, sabe? E ele? Ele usa verde. Outras vezes tenho vontade de usar o arco-íris inteiro. E ele também. Outras vezes preto. Ora bolas, que se dane! Eu uso a cor que eu quiser! Pronto, falei!

É sério que a gente vai entrar nesta seara agora? Olha, amiga… é sério. Por pura falta do que fazer, levanta-se um arco-íris de cores e a vedação a uma suposta ideologia vira uma ideologia pasteurizada e sem nenhuma cor.

Quando a gente estuda Propriedade Intelectual, o ramo do Direito que estuda a autoria de obras artísticas e industriais, a gente aprende que as cores não podem ser registradas como marca, sabia? Em alguns países do mundo podem, mas por incrível que pareça, no Brasil não.

Agora usando este viés de pensamento, um pouco louco, eu sei, como é que a gente deve ser obrigado ou obrigada a registrar uma cor como uma identidade?

Confesso que, durante muito tempo, inclusive, tive preconceito com a cor rosa e usava muito azul mesmo. Hoje em dia não tenho preconceito com nada: adoro todas as cores, apesar de usar muito preto. Só não gosto mesmo de laranja, porque acho que não fico bem. Laranja é melhor só na fruta, não é verdade?

Ah! As cores que têm nome de frutas! Como a cor goiaba, bastante na moda, que vem da goiabeira, e tem derivações que me agradam, mas prefiro mesmo que a goiaba fique no pé, quietinha pra quando eu quiser comer. Afinal, sou eu quem decide o que eu vou usar ou comer, né? Acho que a gente ainda tem este direito, não?

E você? Qual cor você vai usar neste verão? É você quem decide, não é? Pois bem! Estamos de acordo!

Sem mais com esta loucura, deixe seu comentário colorido. Mas tem que ser muito, mas muito colorido mesmo. Igual ao arco-íris que insistem em pintar de preto, tá? Aquela que posta e sai correndo…

Bjs!

By Andrea Nascimento

Siga: @andreanascimentoficial

Quer falar comigo? Manda um e-mail pra mim: contato@andreanascimento.com

Deixe seu comentário