Empoderamento!

Em 7 mar 2017

Glossy illustration07
Meninas poderosas! Meninas empoderadas! Meninas fortes! Meninas livres! Meninas não: mulheres! Porque a gente ama ser mulher!

Quando eu era adolescente e não podia fazer nada porque era mulher, eu odiava ter nascido mulher. Queria ser um menino pra poder sair com os amigos sem hora pra voltar, ir pra balada, poder falar palavrão sem censura, enfim, poder fazer tudo o que os meninos faziam e eu não podia fazer.

Depois de ficar mais velha (mas nem tanto!), vi que ser mulher podia me livrar de tomar um soco na cara ao cobrar um prazo de um subordinado. “Pelo menos é o que se espera”, diriam alguns. Do jeito que as coisas estão…

Mas tirando a parte do soco, passei a ter orgulho de ser mulher quando percebi que lutar pelo lugar de honra do feminino era muito mais interessante. Usar salto alto sim, mas sem precisar passar batom. Ser educada sim, mas falar alto e grosso quando é necessário. Subir a altura do banco sim, mas dizer “não, obrigada” quando algum homem sugere colocar o carro na vaga pra você achando que você não vai conseguir.

Aliás, uma vez, coloquei o carro numa vaga super difícil de manobrar e o manobrista perguntou quem era o homem que tinha me ensinado a dirigir assim. Eu disse “minha mãe!”, que embora não tenha me ensinado de fato a dirigir, me deu todo o incentivo para que eu não tivesse medo do trânsito.

Acho, sinceramente, que temos tanto coisas a comemorar quanto a lamentar no Dia Internacional das Mulheres. A desigualdade de gênero é algo claro a se lamentar, pois as mulheres, em pleno século XXI, ainda ganham menos que os homens, e a atriz Meryl Streep nos representa de forma singular neste assunto. Inclusive, há pouco tempo, a atriz de House of Cards, Robin Wright (adoro!), exigiu ganhar o mesmo salário de seu colega de cena Kevin Spacey para continuar na trama. Quem assiste o programa sabe o quão importante ela é para a narrativa. Ela nunca deveria ganhar menos! Nenhuma de nós deveria ganhar menos!

Por outro lado, acho que o fato de podermos fazer escolhas nos dias de hoje é algo que devemos comemorar! Durante muito tempo só houve uma possibilidade para nós: cuidar da casa e dos filhos. Que bom que hoje podemos também cuidar da casa e dos filhos, se quisermos, mas também podemos ser muitas outras coisas: podemos ter filhos ou não ter; podemos apenas ter filhos de 4 patas; podemos ser profissionais gabaritadas; podemos ter marido ou não ter, etc.

É claro que, infelizmente, ainda existe uma parcela da sociedade que ainda não tem acesso a estas possibilidades de escolha. Seja como for, cabe a nós, que as temos, lutar pelas mulheres que ainda não as têm, e sermos hoje, sim, responsáveis por nossas escolhas! Poder escolher: isso não tem preço!

Por exemplo: um tempo atrás seria impossível ter este blog! Uma mulher falando o que se pensa, abordando questões feministas, conciliando várias profissões e um marido, colocando a cara a tapa? Durante muito tempo ter estas atitudes diante da sociedade seria uma vergonha! Ainda bem que pelo menos agora dá pra escolher e conciliar!

Vergonha? Nenhuma! Tenho orgulho de ser mulher! Tenho orgulho de ser feminista! Tenho orgulho de fazer tudo o que faço e de ser tudo o que sou! E hoje em dia não quero mais ser um menino, só quero, sim, ter os mesmos direitos de um menino.

Tem gente que não gosta, mas eu vou repetir: bela, recatada e do lar? Ok, você pode ser com muita honra! Mas eu prefiro mesmo ser louka, transgressora e do mar! Mar no sentido de liberdade de ir e vir, pois, como vocês sabem, odeio praia!

Feliz Dia Internacional das Mulheres Empoderadas e Poderosas!

 

Créditos da imagem: Freepik

Deixe seu comentário