Marta

Em 2 out 2018

Talvez ainda não tenhamos nos recuperado da derrota na última Copa. Talvez ainda não estejamos preparados para não ter Neymar na lista dos melhores jogadores. Mas será que estamos preparados para ver uma mulher pela sexta vez ser premiada como a melhor jogadora de futebol do mundo? Até quando, Brasil? É hexa!!!!

Já começo na área da defesa: não entendo nada de futebol mesmo e qualquer inconsistência nesta coluna não é mera coincidência. Qualquer coisa, mostra o cartão vermelho! Mas de ser mulher e de defender uma mulher ah, disso eu entendo! E parto logo para o ataque: até quando vamos subvalorizar o papel de destaque de uma mulher numa área majoritariamente masculina?

A atacante Marta, a maior artilheira da história do futebol brasileiro, contando tanto o masculino como feminino (vi isso no Wikipedia, porque não faço ideia do que possa vir a ser uma atacante) já ganhou o prêmio de melhor jogadora de futebol feminino nada mais, nada menos que 6 vezes e já foi indicada 5.678.536 vezes (só pra dar um tom dramático). Mas como derrubar na área é pênalti, não adianta: não falam taaanto assim no nome da mulher, mas todos insistem em contar até agora quantas vezes o Neymar foi ao chão e quantos milhões de curtidas no Instagram ele teve pedindo desculpas. Isso sem falar no fato de que com certeza ela ganha bem menos do que ele, mas enfim…

Mas a melhor parte veio de um desses programas de mesa redonda de futebol, que eu não faço a menor ideia de como se chamam, mas que acabo assistindo passivamente e por osmose porque o meu marido assiste a todos  (é que eu não ligo pra ver TV: enquanto ele vê estes programas, eu fico no laptop, sabe?): um comentarista disse que a indicação da Marta ao prêmio era importante para que os brasileiros passassem a dar mais valor ao futebol feminino. Tá… E qual valor estes programas dão ao futebol feminino?

Mesmo sem prestar muita atenção ao que eles dizem, percebo que se gastam 5 minutos das suas duas horas de programa falando do assunto é muito! Ouro dia vi que em um deles tem uma mulher como comentarista. Em outro, tem mais uma. Mas é só uma. E no outro, só mais uma. Ou seja: somos sempre a minoria com os homens dominando com a bola no peito.

Então, programas, por que vocês mesmos não começam a educar a sua audiência a dar mais valor ao futebol feminino? Por que vocês mesmos não começam a colocar o assunto na pauta em todos os programas, nem que seja de forma diminuta no início, só para começar a catequizar a audiência? Tipo: quer que eu desenhe?

Fica a dica: quanto mais se treina, mais gols se faz. Quanto mais se fala no assunto, mais ele se torna natural. Quanto mais mulheres com protagonismo no futebol, mais mulheres com condições igualitárias em outras áreas. Com o tempo, ninguém mais acha estranho.

De novo: fica a dica!

E pra terminar: Marta, você é foda!

#prontofalei

Bjs!

By Andrea Nascimento

Siga: @andreanascimentoficial

Quer falar comigo? Manda um e-mail pra mim: contato@andreanascimento.com

 

Deixe seu comentário