Royals

Em 13 maio 2019


Protocolos, tradição, linhagem, sucessão, regência… O mundo da realeza parece tão distante para nós, meros mortais, não é mesmo? E o que deve ser isto para alguém que entra triunfante no mundo de coroas e diamantes, deixando tudo para trás, e que agora é mãe de um provável conde? Meghan, você é corajosa!

O nascimento de mais um bebê real movimentou novamente o mundo! Casas de apostas, economia britânica, lojas de souvenires (que a gente adora!), todas faturaram alto com mais um bebezinho fofo que chegou! Brexit? Quem é Brexit??

O fascínio envolvendo a realeza, principalmente a britânica, é tão grande, que a gente para pra assistir casamento ao vivo, olha em site de fofoca pra ver se já tem foto do baby, fica atenta pra ver o look de saída da maternidade da mais nova mãe do pedaço, até se pega pensando no nome da criança, gente! E as inúmeras séries de TV dos príncipes e princesas? Quem nunca?

Mas, de fato, sempre quando eu olho este tipo de notícia, o que me vem mesmo à cabeça é como estas mulheres que entram para a realeza podem se sentir. Isto porque elas têm que abandonar tudo, né?

No caso da Meghan Markle, ela teve que largar uma carreira de sucesso como atriz pra casar com o príncipe Harry. Teve também que mudar de país, ficar longe da mãe e dos amigos, alterar seu modo de vestir e de se portar, adotar vários protocolos… Acho que eu não teria coragem. Sou louca?

Há quem diga que isso não tem nada a ver, porque a quantidade de privilégios compensa qualquer coisa. Mas a história da Lady Di não mostra isso, né? Sorry!

Uma coisa que me chamou muita atenção foi que, tanto no caso da Meghan, quanto da Kate Middleton, quando ambas saíram da maternidade com seus bebês no colo, fazendo a primeira aparição para as câmeras, as duas me pareceram assustadíssimas. Seria a experiência da primeira maternidade, que deve ser mesmo assustadora? Ou seria um “agora estou me dando conta dessa coisa toda” se revelando num flashback? Não faço ideia. Mas, de fato, isso me chamou muita atenção.

Outra coisa é a questão da escolha: não tem escolha, né? Tem que ser mãe! Não tem como dizer “olha, acho que eu não vou ter filhos”, porque senão quem vai continuar a linhagem, gata? Impossível!

Não pode usar jeans, não pode usar saia curta, roupa tem que ser discreta, batom vermelho nem pensar! Moça discreta ao bom e velho “bela, recatada e do lar”! Será? Até pode não ser, mas que parece, ah, isso parece! Até a Kate que parecia mais descolada no início já tá bem à vontade no fascinator (aquele chapeuzinho que combina com a roupa e que a realeza britânica adora usar nas festas).

Não nasci pra isso, não fia! Não sou e nunca vou ser princesa! Não tenho talento pra isso, digo, pra ser princesa no sentido figurado: boa moça, menina comportada, de rosa… Não deixaria de fazer as minhas coisas porque o protocolo quer, nem me sentiria obrigada a ser mãe porque tem que manter a linhagem. Acho que é só para as fortes!

Prefiro beber meu vinho, pegar meu metrô e adotar todos os bichos que posso! Enfim, viver do jeito que eu quero e tenho vontade! Afinal, we’ll never be royals, meu bem! E isso, acredite, pode ser muito bom!

Bjs!

By Andrea Nascimento

Siga Andrea Nascimento no Instagram: @andreanascimentoficial

Acesse e se inscreva no Canal Deu a Louka no YouTube! Clique aqui!

Quer falar comigo? Manda um e-mail pra mim: andreaalvnascimento@gmail.com

Deixe seu comentário