Sororidade

Em 26 jul 2016

Foto post sororidadeEm um elevador, uma mulher percebe que outra mulher a observa atentamente. Ao se dar conta disso, ela disfarça e finge que está muito entretida com a propaganda que passa na televisão do referido meio de transporte, até porque quase todos eles hoje em dia têm este tipo de “entretenimento” e, se não fosse isso, ela estaria vidrada nas trocas de andares apresentadas pelo display (quanta diversão!).

Não aguentando mais aquela situação, a mulher observada, como que de repente, lança diretamente um olhar matador para a mulher que observa, como quem diz: “te peguei!”

A mulher que observa, na maior naturalidade diz à observada:

_Estava olhando o seu look (leia-se, roupa). Gostei muito desta composição de cinza. Muito bonito.

Diante do ocorrido, não resta mais nada à mulher observada a dizer, a não ser um “obrigada”, meio sem graça, em razão da opinião equivocada pré-concebida de que a observadora lhe lançava um mau-olhado.

Fim.

Esta cena, de fato, ocorreu. E como mencionei que a mulher observada usava cinza e eu já disse em posts anteriores que eu a-do-ro cinza, não dá nem pra disfarçar sobre quem foi esta mulher em questão.

Ocorre que por muito tempo vivemos sob a lenda de que as mulheres sempre se viram como competidoras ou inimigas, deixando os homens deitarem sobre amizades verdadeiras, sem traições, com lealdade e disputas sem importância. Sei…

A lenda, como disse, existe e a gente sabe, embora não concorde exatamente: ela diz que tradicionalmente, mulheres disputam entre si e não são amigas; homens são companheiros e se respeitam. Embora todas nós tenhamos aquelas amigas pra toda hora, imunes a qualquer tipo de desconfiança, acredito que todas nós já tenhamos vivido também momentos de brigas ou cortes de amizade por conta de namorados passageiros ou pseudo poderes que só existem dentro das nossas cabeças. De coisas como estas deve vir esta lenda.

O fato é que este mito de que mulheres são inimigas por natureza tem caído por terra. E isso é bom. Tenho visto muito mais união e solidariedade explícitas entre mulheres ultimamente, tanto nos meus ciclos de amizades, quanto em movimentos que tenho percebido por aí afora, tais como grupos de empreendedoras, de mães, de sócias, corredoras, enfim, mulheres que se ajudam mutuamente. E sinceramente (que é a melhor parte).

Isso me remete ao conceito de sororidade. Segundo o Dicionário Informal, sororidade significaria uma espécie de “pacto entre as mulheres que são reconhecidas irmãs, sendo uma dimensão ética, política e prática do feminismo contemporâneo”. Isso seria como combinar que eu te respeito e te acolho como minha parceira e não como minha inimiga, pois nós duas (ou três, ou quatro, etc.) somos cúmplices e não competidoras. Nós lutamos juntas umas pelas outras. Numa sociedade machista na qual tem-se a ideia de que mulheres devem disputar qual é a mais bonita e mais elegante, como se fosse um concurso de beleza na qual uma deve chamar mais a atenção que a outra, esta definição aparece em boa hora.

O episódio do elevador descrito acima mostra como nós mulheres devemos e não devemos nos comportar diante de outras mulheres. Ao invés de pensar que só existe inveja, devemos dar lugar à solidariedade. Ao invés de disputar quem chama mais a atenção, devemos dar maior atenção a nós mesmas como um time. Ao invés de nos sentirmos ameaçadas pela presença de outras, devemos nos sentir orgulhosas pela existência de todas nós. Não se trata de um extrato feminista, mas, sim, de mútua ajuda e elevação do feminino. E não é nada contra os homens, mas junto deles também.

Somos do mesmo soro. Somos do mesmo time. We can do it, girls!

Fonte: http://www.dicionarioinformal.com.br/sororidade%20/ (acessado em 25/07/2016)

 

Deixe seu comentário